Top 10 similar words or synonyms for microburils

microburis    0.773063

burils    0.725836

bifaciais    0.692317

denticulados    0.688975

micrólitos    0.683180

microlâminas    0.673975

raspadeiras    0.673408

grauvaque    0.672308

goivas    0.662738

lunates    0.661152

Top 30 analogous words or synonyms for microburils

Article Example
Cultura Mushabiana A indústria lítica mushabiana é caracterizada por lamelas arqueadas, pontas La Mouilla, lunates helwanianos, triângulos escalenos e truncados produzidos com a técnica microburils; a economia baseia-se, segundo os líticos, em exploração vegetal.
Cultura Sebekiana A Cultura Sebekiana desenvolveu-se na região de Kom Ombo contemporaneamente com as culturas Silsilliana e Sebiliana. A indústria lítica era baseada quase exclusivamente em lâminas, não havendo exemplos de formas geométricas, microburils e pontas. A subsistência era baseada na caça (gazelas, antílopes, hipopótamos) e pesca.
Cultura Mushabiana A Cultura Mushabiana desenvolveu-se no Vale do Nilo entre 14500-11000 AP e foi considerada como precursora da cultura natufiana, a cultura que segundo evidências arqueológicas desenvolveu os primeiros processos agrícolas conhecidos. Segundo evidências arqueológicas os mushabianos migraram para a região do Levante onde fundiram-se com a cultura Kebarana: "Os sítios mushabianos do Sinai são interpretados como restos de grupos móveis enxertados fora da região do Nilo, atraídos pela expansão do meio ambiente". Esse argumento é considerado por meio da ocorrência precoce da técnica de microburils no Vale do Nilo: "No entanto, a recente descoberta do uso ainda mais antigo de microburils na bacia Azraq fundamentalmente enfraquece o argumento, e pode até indicar a difusão desta técnica em outra direção". Fellner acredita que a cultura mushabiana deriva da Cultura Nizzaniana do Negev.
Cultura Helwaniana A cultura Helwaniana desenvolveu-se nas proximidades do Cairo, especialmente no sítio de Helwan; possui relações com as culturas epipaleolíticas do Sinai e Levante. Sua indústria lítica baseou-se na produção de lascas, lâminas (retocadas com estilo Ouchtata), micrólitos geométricos (lunates, triângulos escalenos e isósceles, segmentos circulares, microburils) e pontas helwanas (lamelas retocadas com bordas entalhadas); a ponta helwana difundiu-se pelo Médio Eufrates por volta de tendo desaparecido por volta de .
Cultura Ramoniana A Cultura Ramoniana desenvolveu-se no Sinai e Deserto de Negev entre 13/12500-11500, tendo ela sido possivelmente contemporânea, em sua final, da cultura natufiana. Os sítios ramonianos caracterizam-se pela proximidade das extensas rotas naturais de comunicações em detrimento da proximidade de fontes duráveis de água. A indústria lítica era caracterizada pela produção de microburils, raspadores, entalhes, lâminas/lamelas estreitas e alongadas e a ponta Ramon - lâmina geralmente côncava apoiada e truncada fabricada pela técnica microburil; há presença entre as concentrações líticas de lunates helwanianos e entalhes e denticulados natufianos. Entre os achados ramonianos foram localizados cascas de moluscos do mar vermelho.
Cultura Qaruniana A cultura Qaruniana desenvolveu-se no Faium entre 8100-7100 AC em diversos sítios espalhados pela zona. Seus sítios eram pequenos, possivelmente sazonais e de curta duração; ao longo do processo de transição econômica os sítios aumentaram em tamanho e número. A indústria lítica é composta por lamelas (algumas são apoiadas e possuem a base retocada ou truncada), lâminas apoiadas, entalhes retocados, denticulados, microburils, micrólitos geométricos, truncados basais e distais, raspadores finais e perfuradores; há presença de arpões e pontas cilíndricas feitas com osso. A subsistência baseava-se na caça (bubalinas, bovídeos, gazelas, hipopótamos, aves, tartarugas), pesca (clarias, tilápias) e coleta vegetal.
Cultura arkiniana A cultura Arkiniana desenvolveu-se na região de Wadi Halfa entre 10500-9500 AP tendo ela sido considerada como uma das mais amplas culturas epipaleolíticas do Nilo: "Do ponto de vista tipológico, a Arkiniana faz parte da ampla gama de indústrias epipaleolíticas norte africanas, e a análise estatística do grupo de lamelas apoiadas revela semelhança com a Iberomaurusiana". A indústria lítica foi baseada principalmente em microburils (o retoque Ouchtata é notório) e mós, embora exemplos não microlíticos são evidentes; as matérias primas são sílex, ágata, jaspe, rochas ígneas, madeira fossilizada e arenito ferruginoso. A subsistência baseou-se na caça (bubalinas, auroques, gazelas, hipopótamos, bovídeos) e pesca.
Cultura Elkabiana A cultura Elkabiana desenvolveu-se nos desertos oriental e ocidental, assim como no Vale do Nilo por volta de 8000 AC. Segundo Vermeersch, os elkabianos eram "caçadores nômades seguindo a comida pelas rotas do oeste com a pesca e a caça no Vale do Nilo durante o inverno e a exploração do deserto durante o verão chuvoso". A indústria lítica foi composta por lamelas, geométricos, microburils incluindo triângulos escalenos alongados, entalhes, denticulados, raspadores e mós de sílex; espátulas de osso e cascas de ovo de avestruz foram identificados. A subsistência era baseada na caça (auroques, gazelas, bovinos e caprinos selvagens, tartarugas de casca mole, hipopótamos, bufalinas, chacais, ouriços) e pesca (peixes, moluscos).
Cultura Maadiana A indústria lítica era baseada em sílex, quartzito e cristal de rocha e tinha como formas principais raspadores, facas com bordas retocadas, furadores, punções, burils e microburils, cunhas, brocas, machados, cabeças de clavas, mós, machados polidos, pilões, almofarizes, lâminas torcidas, pontas de flechas espigadas, foices unifaciais, cutelos. Cobre (machados com arestas de corte fino, cinzeis, punções, furadores, anzóis, agulhas, alfinetes e fios), ossos, chifres e madeira (furadores, punções, pentes, braceletes, varas, alças e tampas) também foram manufaturados; pigmentos (ocre, malaquita), paletas cosméticas, vasos de pedra (alabastro, calcário e basalto) e cabeças discoides de clavas são evidentes.
Cultura Sebiliana A cultura Sebiliana desenvolveu-se na região de Kom Ombo entre 15000-11000 AP; é dividida em três fases distintas, com base nos artefatos criados e nas técnicas utilizadas para fazê-los. A primeira fase, a Sebiliana I, também chamada Sebiliana Inferior, não passa de uma versão modificada da Indústria Levallois com pontas retocadas e os primeiros burils. As fases Sebiliana II e III são as verdadeiras fases dessa indústria que se transformou em uma autêntica indústria de micrólitos onde ocorreu a troca de diorito por sílex, que é mais durável e mais maleável. Os sebilianos também fabricaram lascas grandes, micrólitos geométricos e utilizavam a técnica de microburils produzindo ferramentas de arenito, quartzo ou rocha vulcânica.