Top 10 similar words or synonyms for consentimentos

digivices    0.515075

desvarios    0.510067

subdiretórios    0.508292

descedentes    0.507059

pards    0.498813

artesoados    0.495542

descendestes    0.491034

padecimentos    0.490009

arquiinimigos    0.488726

toxóides    0.485174

Top 30 analogous words or synonyms for consentimentos

Article Example
Comunicação interpessoal Produzir aceitação, gerar consentimentos e fazer-se entender, nem sempre nos comunicamos eficientemente de facto. Os processos de comunicação ocorrem em três fluxos:
Fofoca A fofoca consiste não somente no ato de fazer afirmações não baseadas em fatos concretos, especulando em relação à vida alheia mas também em divulgar fatos verídicos da vida de outras pessoas sem o consentimentos das mesmas, independente da intenção de difamação ou de um simples comentário sem fins malignos.
Coação Coação é um dos vícios do consentimentos nos negócios jurídicos, caracteriza-se pelo constrangimento físico ou moral para alguém fazer algum ato sob o fundado temor de dano iminente e considerável à sua pessoa, à sua família ou a seus bens (Art.151 do CC).
Fabio Fazio Depois de um breve interlúdio em Telemontecarlo, no início dos anos noventa participa em "Mi manda Lubrano", enquanto que a partir de 1993 até 2001 , foi condutor da rotogravura futebolistica Quelli che il calcio na Rai 3 e depois na Rai 2 programa que o consagrou para o grande público. O sucesso da transmissão torna-o condutor do Festival de Sanremo em 1999 e em 2000, edições que alcançaram índices de audiência memoráveis. Sempre na Rai 2, em 1997, recolhe muitos consentimentos com o programa "Anima mia."
Princípio da não agressão Alternativamente, a hipótese de copropriedade igual e universal atende o requisito ético de lei igual para todos. No entanto, esta alternativa sofre de outra deficiência ainda mais severa: se ela fosse aplicada, toda a raça humana iria perecer instantaneamente. Uma vez que toda ética humana deve permitir a sobrevivência da espécie, esta alternativa, então, deve ser rejeitada também. Se todos os bens fossem copropriedade de todos, então ninguém, em momento ou lugar algum, teria permissão de fazer qualquer coisa a menos que tenha obtido previamente o consentimento de todos os outros coproprietários; indo mais a fundo na lógica, como alguém poderia dar tal consentimento se ele não fosse o dono exclusivo de seu próprio corpo (isso inclui suas cordas vocais) através do qual seu consentimento deve ser expressado? Na verdade, ele iria precisar primeiro do consentimento dos outros para poder expressar seu próprio, mas esses outros não podem dar seus consentimentos sem ter o dele primeiro etc.
Estupros de guerra Durante a segunda guerra mundial o estupro virou novamente uma arma sistemática para humilhar e aterrorizar a população. Os mais avançados nisso foram os japoneses, que no China e em outros países deles estupravam em massas. Famoso nisso é o Massacre de Nanquim com estupros em massa, moças amarradas nuas e abusadas por muitos dias e moças estupradas por objetos até morrerem. Milhares de moças e meninas foram durante a guerra recrutadas para servirem como prostitutas forçadas em prostíbulos para soldados japoneses. Elas foram chamadas oficialmente de Mulheres de conforto, mas os soldados chamavam-nos como nomes pejorativos como "Vasos higiênicos públicos". Já que elas foram forçadas e não receberam quase nada em troco todas as relações mantidas com elas são consideradas estupros. A falta completa de consciência culposa e consentimentos do lado dos japoneses mostram exemplos de soldados, que se fotografaram ao lado de moças chinesas nuas amarradas com as pernas abertas, e mandaram as fotografias com orgulho para os pais deles.
Perseguição de Diocleciano Antecipando o vigésimo aniversário do seu reinado em 20 de novembro de 303, Diocleciano declarou uma amnistia geral através de um terceiro édito. Qualquer membro do clero podia ser liberto, desde que concordasse em sacrificar aos deuses Diocleciano poderá ter querido uma boa imagem para a sua legislação, ou também querido abalar a comunidade cristã ao publicitar as apostasias do clero. A exigência de sacrificar era inaceitável para muitos dos aprisionados, mas os guardas obtinham por vezes consentimentos tácitos em tais práticas. Alguns acediam, outros só após serem torturados. Eusébio, no seu "Mártires da Palestina", recorda o caso de um homem que após ser conduzido a um altar, completou com as mãos presas uma oferenda de sacrifício, tendo sido rapidamente solto. Outros afirmaram ter sacrificado quando nada tinham feito.
Limitação de largura de banda Um dispositivo de largura de banda intensiva, como um servidor, pode limitar, ou estrangular (throttling), a taxa na qual ele aceita dados, a fim de evitar sobrecargar sua capacidade de processamento. Isto pode ser feito em servidores de redes locais ou em Fornecedor de acesso à Internet (ISPs). ISPs frequentemente utilizam inspeção profunda de pacotes (do inglês, deep packet inspection, DPI), que é amplamente encontrada em roteadores ou fornecidas por um equipamento de DPI especial. Além disso, os equipamentos de rede da atualidade permitem que ISPs coletem estatísticas sobre o tamanho do fluxo de velocidade da linha, que pode ser usado para marcar fluxos largos em traffic shaping. Dois ISPs, Cox e Comcast, afirmaram que empenham esta prática, limitando a largura de banda dos usuários em até 99%. Atualmente, a maioria, se não todos, dos |provedores de acesso à internet limitam a largura de banda de seus usuários, com ou sem seus consentimentos. No caso específico da Comcast, um fornecedor de equipamentos chamado Sandvine desenvolveu a tecnologia de gerenciamento de rede que limitou transferências de arquivos P2P.
Extração de órgãos de praticantes do Falun Gong na China Durante sua sessão de 6 de dezembro de 2012 sobre os direitos humanos na China, o Parlamento Europeu ouviu testemunhas sobre a extração de órgãos na China. Um ano depois, foi aprovada resolução expressando “profunda preocupação sobre os relatos persistentes e credíveis sobre a extração de órgãos, sistemática e sancionada pelo regime chinês, de prisioneiros de consciência, sem seus consentimentos, na República Popular da China, entre eles, um amplo número de praticantes do Falun Gong, presos em razão de suas crenças espirituais, bem como de membros de outras religiões e grupos étnicos minoritários.” A resolução pediu a libertação imediata de todos os prisioneiros de consciência, e instou as autoridades chinesas a responderem às Nações Unidas as questões sobre a fonte de órgãos usadas nos transplantes. Em março de 2014, o Comitê Europeu Econômico e Social, em Bruxelas convocou um evento voltado a discutir questões ligadas a abusos nos transplantes de órgãos na China. Nesse evento, os participantes e palestrantes apoiaram as recomendações da resolução parlamentar, que reconheceu que o Falun Gong e outros grupos minoritários são alvos de extração forçada de órgãos na China. O presidente Henri Malosse pediu que o governo chinês seja pressionado mais para acabar com os abusos de transplantes de órgãos.