Top 10 similar words or synonyms for bafici

celcit    0.621554

fonca    0.573599

capif    0.556000

bielinsky    0.552024

posadista    0.547787

aterciopelados    0.547586

identidad    0.542233

lalaguna    0.540384

seleccion    0.535889

mientras    0.531885

Top 30 analogous words or synonyms for bafici

Article Example
António Borges Correia BAFICI - Buenos Aires 2011 (International Competition)
Juan Manuel Tellategui Também atuou no longa-metragem argentino Las Pistas, de Sebastián Lingiardi, sucesso no Bafici (Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires).
Casa Grande (filme) Participou de vários festivais internacionais, entre eles, Rotterdam, San Sebastian, BAFICI, Taipei, BFI London, , entre outros, tendo sido premiado em Toulouse (prêmio do público e dois prêmios da crítica – Fipresci e francesa) e Dinamarca (menção Honrosa do Júri).
Miguel Gomes (cineasta) Como outros dessa geração, favorecido pelos critérios regulamentares de apoio estatal às primeiras obras e graças ao dinamismo da sua jovem produtora, num curto espaço de tempo será contemplado com vários prémios em festivais nacionais e internacionais. Mostras da sua obra são feitas na Áustria (Viennale), em 2008 e, em 2009, na Argentina (Bafici) e Espanha (Centro de Artes e Imaxes da Corunha) .
Samba On Your Feet Foi convidado a participar no Festival de Cinema de Toulouse, França 2008; Rio International Film Festival, Brasil 2006; Buenos Aires Independent Film Festival (BAFICI) Argentina 2007; e Toronto Film Festival, Canadá 2007. Atualmente está sendo exibido em universidades em todo os EUA e no exterior.
Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires O Festival Internacional de Cine Independente de Buenos Aires (BAFICI) é um festival de cinema internacional que se realiza todos os anos, durante o mês de Abril na cidade de Buenos Aires, na Argentina. O festival de Buenos Aires é organizado pelo Ministério de Cultura do Governo da Cidade de Buenos Aires, não é um festival oficial afiliado da FIAPF, mas se trata de um evento reconhecido internacionalmente por sua transcendência.
João Paulo Cuenca A estreia européia do filme foi na mostra competitiva principal do festival , na Dinamarca, em novembro de 2015. O longa-metragem foi selecionado para festivais como Punto de Vista (Espanha, 2016), BAFICI (Argentina, 2016), New Horizon IFF (Polônia, 2016), NEMAF - Seoul Intl. NewMedia Festival (Coréia do Sul, 2016), Pacific Meridian IFF Vladivostok (Russia, 2016), The Montreal Festival du Nouveau Cinéma (Canada, 2016), Lakino – Latin American Film Festival Berlin  (Alemanha, 2016), entre outros.
Ricardo Alves Júnior Lançou em 2016 seu primeiro longa-metragem, "Elon Não Acredita na Morte", comtemplado HBF Script and Project Development. Selecionado para os Festivais de Brasília do Cinema Brasileiro (Prêmio de Melhor Ator), Panorama Coisa de Cinema (Prêmio de Melhor Filme – Prêmio IndieLisboa), Semana dos Realizadores no Rio de Janeiro (Prêmio do Júri); teve estreia internacional no Macao Film Festival & Awards, na China (Prêmio de Melhor Contribuição Artística) e estreia europeia no Festival de Cinema de Rotterdam na sessão Brigth Futuro. A estreia Iberoamericana foi na competição do Festival de Cartagena na Colômbia, sendo exibido também no IndieLisboa em Portugal, Ficuman no México e Bafici na Argentina. 
Eryk Rocha Ainda em 2013, foi convidado pela Canana Films, do Ator mexicano Gael Garcia Bernal, para participar do projeto graduate XXI, que originou o longa metragem 'El Aula Vacía" que é financiado pelo BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento. o filme é composto por dez curtas metragens de diversos diretores latinos- americanos sobre o tema da evasão escolar. Eryk realizou o curta-metragem "IGOR" que mostra um dia na vida do aspirante a ator e capoerista Igor, morador do Morro dos Prazeres. "El Aula Vacía" foi lançado nos festivais internacionais em 2015, foi exibido nos festivais de Guadalajara  (México) Bafici (Argentina) e Málaga (Espanha),  entre outros.
Gabriel Mascaro O filme lançado em seguida, Um Lugar ao Sol (2009), faria sua trajetória avançar para mais festivais internacionais como o BAFICI, Visions du Rèel, e selecionado em mais de 30 festivais internacionais. O documentário aborda o universo dos moradores de coberturas de prédio das cidades de Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. Através dos depoimentos desses moradores, o filme traz um rico debate sobre desejo, visibilidade, insegurança, status e poder, e constrói um discurso sensorial sobre o paradigma arquitetônico e social brasileiro. A coluna de crítica do Los Angeles Weekly defende: ""Sem forçar, nos provoca a pensar sobre desigualdade, satisfação e esquecimento”". No Brasil, o filme virou polêmica e foi questionado por suas atitudes éticas para com os personagens entrevistados.